quarta-feira, 28 de novembro de 2012

FILHOS ILUSTRES DOS INHAMUNS

"Dos mais numerosos é o rol dos filhos ilustres do Tauá, uns vivos e outros falecidos. Dentre eles, para não nos alongarmos, a seguir, citaremos apenas alguns, os que mais se destacaram. Estão abrangidos, aqui, aqueles que nasceram no território do Tauá antigo, que circunscrevia todo o INHAMUNS. Os que aqui não foram referidos estão mencionados no texto.
Ângelo Alves Feitosa – Padre. (No seu túmulo, MA, foi erguida uma capela)

Alexandre Ferreira Barreto – Padre. (Em Flores de Tauá – educou Fausto Barreto);

Antero José de Lima – Monsenhor. (Paróquia Itapipoca, Deputado e Senador)

Antero Américo Pereira da Silva – General e Engenheiro Militar Guerra do Paraguai

Antônio Alves Feitosa – Monsenhor. Paróquia Missão Velha

Antônio de Almeida – Padre. Cura de Juazeiro do Norte, G. Paraguai.

Antônio Jataí de Sousa – Padre. Pároco Pedra Branca e Barbalha

Antônio Leopoldino de A. Chaves – Advogado (1º tauaense formado em  Direito, 1835).

Bernardino Gomes de Araújo – Professor em Missão Velha e poeta.

Bernardo de Castro Feitosa – Odont. e Direito. Juiz em Mombaça e Independência.

Benedito de Sousa Rêgo – Pároco Várzea Alegre, Tauá e Messejana.

Cândido Meireles – Odontólogo, Poeta e Jornalista.

Domingos Alves Ferreira – Major Guerra do Paraguai.

Eufrásio de Almeida – Poeta, Padaria Espiritual.

Falconete Cavalcante Fialho – Doutor-Engenheiro Agrônomo.

Fausto Carlos Barreto – Professor, Dep. Geral do Ceará e Presidente RN.

Felipe Raulino de Sousa Uchoa – Desembargador, Deputado Provincial.

Francisca Clotilde Barbosa Lima – Educadora e Beletrista.

Francisco da Mota Sousa Angelim – Padre e Deputado Provincial.

Francisco de Assis Feitosa – Monsenhor na cidade do Crato.

Francisco José da Silva Carvalho – Padre e Deputado Estadual.

Francisco Primeiro de Araújo Citó – Advogado – Juiz e abolicionista.

João Felipe Pereira – Ministro do Exterior e Viação no Governo de Floriano Peixoto

Joaquim Alves Feitosa – Deputado e Comandante Batalhão da G. Nacional.

Joaquim Pimenta – Professor, Jornalista e Sociólogo.

José da Costa Leitão –Vigário da Freguesia de N. S. da Paz, Arneiroz.

José do Vale Feitosa – Professor da Escola Normal do Rio de Janeiro.

Joviniano Barreto – Monsenhor. Reitor do Seminário do Crato.

Jovino Guedes Alcoforado – Lente do Liceu do Ceará, Padaria Espiritual.

Leandro Custódio de Oliveira e Castro – Major da Guarda Nacional.

Leonardo Feitosa – Genealogista.

Lourenço Alves Feitosa e Castro – Deputado Estadual e Guerra Paraguai.

Manuel de Araújo Feitosa – Cônego, Secretario do Bispado do Crato.

Manuel Sedrim de Castro Jucá – Deputado e Comandante da Cavalaria.

Maria da Glória Feitosa Freitas – Educadora.

Miguel Fernandes Vieira – Juiz em várias Comarcas. Senador do Império.

Odilon Silveira Aguiar – Prefeito de Tauá.

Pedro Leopoldo de Araújo Feitosa – Mons. Autor de Belezas da Religião.

Raimundo Bizarria – Emérito Professor e Jornalista (Diário de Notícias, BA).

Ulisses Bezerra -  Padaria Espiritual (Frivolino Catavento).

Vicente Alves Feitosa – Padre e Escritor (O Nordeste e Ação).

Vital Bizarria – Poeta e Jornalista: República e Região.  Autor de COMIGO."


Fonte: FREITAS. Antônio Gomes de. Inhamuns Terra e Homens. Fortaleza, 1972.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

A BANDEIRA (POR FRANCISCA CLOTILDE)




A BANDEIRA

Vejo-te erguida, bela e tremulante
Tendo o azul deste céu resplandecente
E o verde esperançoso e potente
Que mostra a nossa flora sorridente.

Emblema augusto, símbolo potente
Banhada de sol vivo e brilhante
Relembra o poema amifulgante
A epopéia de feitos retumbante.

Amo-te assim, erécta, majestosa
Beijada pela brisa majestosa,
Querida, venerada dentre mil.

E como áureo, aos hinos da vitória
Ver-te sempre, brilhar cheia de glória,
Auriverde bandeira do Brasil!

Francisca Clotilde. Revista A Estrella. Aracati - Ceara, maio de 1910
 
 

sábado, 17 de novembro de 2012

BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DO CEARÁ

Homenagem à escritora Francisca Clotilde
(aos 10 de novembro de 2012)
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará
A bisneta Rosângela Ponciano
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará
A bisneta Rosângela Ponciano
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará
 
Ângela Gurgel, Anamélia Mota e Madalena Figueredo, Ed Wilson Custódio
X Bienal Internacional do Livro do Ceará 
 
Paloma Custódio, Edmilson Barbosa, Lanúzia Veríssimo, Pérola Custódio 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará  
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará  

Homenagem à escritora Francisca Clotilde
X Bienal Internacional do Livro do Ceará 
 
 
 Homenagem à escritora Francisca Clotilde
X Bienal Internacional do Livro do Ceará
 
 
Anamélia Mota e Ângela Gurgel
X Bienal Internacional do Livro do Ceará  
 
As palestrantes Anamélia Mota e Ângela Gurgel
X Bienal Internacional do Livro do Ceará

X Bienal Internacional do Livro do Ceará
A palestrante Ângela Gurgel
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará
A palestrante Rosângela Ponciano

X Bienal Internacional do Livro do Ceará
A palestrante Luciana Andrade e
a organizadora Cecília Cunha
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará 
A palestrante Gildênia Moura

X Bienal Internacional do Livro do Ceará
Palestrantes Cid Carvalho e Rosângela Ponciano

X Bienal Internacional do Livro do Ceará 
Cecília Cunha, Rosângela Ponciano, Anamélia Mota,
Luciana Andrade e Gildênia Moura
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará 
Anamélia, Luciana, Adriana, Ângela, Regina, Rosângela e Gildênia
 
X Bienal Internacional do Livro do Ceará
Adriana, Anamélia e Ângela Ponciano

 
Escritores Edmilson Barbosa e Cid Carvalho
X Bienal Internacional do Livro do Ceará 
 
Anamélia Mota na Bienal Internacional do Livro
 
Edmilson Barbosa e Cid Carvalho na Bienal Internacional do Livro
 
 
Fotos de Ângela Ponciano - bisneta de Francisca Clotilde. 
 
CEARÁ (F. Clotilde)

Teu céu azul é sereno,
São belas tuas campinas,
Quando em abril se matizam
De vicejantes boninas;
Doces vozes se desprendem
Nos galhos por entre os ninhos,
Onde cantam seus amores
Milhares de passarinhos.
 
A linfa que nos verdores
Desliza sonora e pura
Cicia ternos segredos
Das matas pela espessura;
E a refletir docemente
O azul sereno dos céus
Parece um límpido espelho
Da glória imensa de Deus.
 
Oh! Meu Ceará querido,
Bela pátria de Alencar,
Com quanto amor te venero
Oh! Como sei te exaltar!
Na fúlgida constelação
Da terra de Santa Cruz,
És a estrela mais brilhante,
Oh! Grande Terra da Luz!
 
Tem flores, as mais formosas,
Aves de todas as cores,
As borboletas mais lindas,
Os mais gentis beija-flores;
O teu luar argentino,
A se espalhar sobre o mar,
Inspira meiga poesia,
Obriga a gente a sonhar!...
 
Francisca Clotilde In: Sampaio, Filgueira. Noções de História do Ceará. Recife, PE, 1951 p109-110.







quarta-feira, 31 de outubro de 2012

FESTA DA PADROEIRA EM TAUÁ

Bonita Festa da Padroeira Nossa Senhora do Rosário em Tauá comemorando os 250 de fundação. O novenário com boa participação da população. Cada noite um Distrito com seu respectivo padroeiro embeleza as festividades. Dia 25 de outubro foi dedicado ao Distrito de Marruás. Queremos aqui registrar a importância da Barraca de História e Memória patrocinada pela Fundação Bernardo Feitosa no resgate da História do povo de Tauá. Da Vila de Marruás, registramos o casal Aureliano Cavalcante Mota e Amélia de Carvalho Mota e seus filhos:
 
Aureliano Cavalcante Mota e Amélia
 
Aureliano Mota/Amélia e filhos
 
Agostinho Mota e Dolores
 
 
Ataciso Mota e Nilda
 

Apolônio Mota e Ananias
 
Adalberto Bastos e Mariquinha
 
Adauto Mota e Naninha Custódio
 
Absolon Mota e Natália
 
Isabel/Amélia/Mariquinha e Alice Mota
 
Domingos Cavalcante/Aureliano Neto e Isabel Mota
 
 
CURIOSIDADES FAMILIARES
 
1. BATIZADO AMÉLIA (VOVÓ)
 
Amélia, branca, filha legítima de Agostinho Cavalcante da Silveira e D. Izabel Cavalcante da Silveira, moradores do Chique-Chique, nascida aos 26 de novembro de 1877.  E dito foi solenemente batizada por mim aos dois de janeiro de 1878. Foram padrinhos: D. José Fernandes Vieira Bastos e Dona Vitória Fernandes Vieira Bastos. Do que para constar faço este assento que assino.
                                                                                              Vigário Benedito de Sousa Rego
                                                                                  Fonte: Paróquia de Nossa S. do Rosário
                                                                                                     TB: 02 (1877-1879), fl. 20 v.


 

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

TAUÁ - CE - CRIANÇA NASCE NA RUA

Meu Deus, que absurdo! Quanta falta de humanidade! Criança nasce na rua de Tauá. Na madrugada de domingo (21/10/2012) uma senhora entra em trabalho de parto e ao ser conduzida por seu esposo (encontravam-se nas alturas da Rodoviária) ela sentiu que a criança estava nascendo. Ele parou a moto gritou por socorro, nenhum taxista teve a ação de socorrê-los. Um grupo de  jovens prestou os primeiros socorros, contaram à Rádio Cultura dos Inhamuns, que se dispuzeram a pagar o taxi, mas o proprietário só poderia conduzí-la no bagageiro, para não sujar o carro, o marido foi ao hospital pedir uma ambulância, mas também não foi atendido, informaram que ambulância só para viajar para fora. O Pró cidadania também não pode (por quê?) atendê-los. Enfim, foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros. Parabéns aos jovens que tiveram uma ação digna de aplausos.
Tauá: José e Cristina, pais de Hayalla Sophia 
em entrevista à Rádio Cultura dos Inhamuns
Tauá: grupo de jovens que prestou os 
primeiros socorros à parturiente dona Cristina

Tauá: Hayalla Sophia


 

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

SESQUICENTENÁRIO DE FRANCISCA CLOTILDE

.
ANIVERSARIANTE DO DIA - FRANCISCA CLOTILDE
 
Por Anamélia Custódio Mota
 
Francisca Clotilde nasceu na fazenda São Lourenço, em São João dos Inhamuns*, hoje Tauá, sede do município cearense de Inhamuns, em plena região encravada no polígono das secas no Nordeste brasileiro, no dia 19 de outubro de 1862. 
 
Filha de João Correia Lima e de D. Ana Maria Castelo Branco . Sua infância decorreu sem maiores incidentes na fazenda, na paz bucólica do sertão.
 
Por motivo ignorado e sem data precisa, a família muda-se o povoado de Calabôca, serra que viria a ser a cidade de Baturité, onde a menina fez seus primeiros estudos com a professora D. Ursulina Furtado, por quem, ao longo de sua vida, cultivou profunda admiração.
 
Depois do aprendizado primário, a família muda-se para Fortaleza, onde foi matriculada, no Colégio Imaculada Conceição, já então se fazia notar o seu espírito lúcido e elevado, a sua cultura sólida e brilhante e as suas inclinações literárias e poéticas. Desde o ano de 1877 aparecem trabalhos seus na Imprensa: Pedro II, Almanaqque do Ceará, etc.
 
Atendendo a vontade do pai, como era costume na época, casa-se em 1880, aos 18 anos com Francisco de Assis Barbosa Lima. Pouco se sabe sobre essa união. Já órfã de mãe, nesse mesmo ano perde o pai.
 
Em 1882, submete-se a exames para professora da Escola Normal Pedro II, então dirigida e orientada exclusivamente por homens. Fazendo provas brilhantes, com distinção em todas as matérias, foi considerada apta para exercer o magistério, carreira com a qual se sentia fortemente inclinada e - fato notável – foi a primeira professora do sexo feminino a lecionar na Escola Normal, com apenas 20 anos de idade.Era Diretor desse educandário, àquela época, o Sr. José de Barcelos, e foi seu examinador o professor Tomaz Antonio Carvalho, que era lente só para o sexo masculino.
 
Lecionou na Escola Normal de junho de 1882 até o ano de 1893, quando por perseguição política e outros preconceitos, foi demitida.
 
Integrante da Sociedade das Cearenses Libertadoras, movimento de caráter abolicionista, fundada em 18 de dezembro de 1882, ora angariando fundos, ora escrevendo panfletos, na terra que primeiro libertou os escravos, foi não tenhamos dúvida, ao lado de Maria Tomázia, uma das pioneiras do movimento abolicionista.
 
Em primeiro de janeiro de 1883 participou em Acarape (Redenção) da libertação dos escravos daquele município.
 
Foi figura proeminente do Clube Literário do qual fizeram parte: Duarte Bezerra, Farias Brito, Justiniano de Serpa, Antonio Bezerra de Meneses, Oliveira Paiva, Juvenal Galeno e outros. O Clube Literário manteve na imprensa um jornal A Quinzena, onde Francisca Clotilde publicou vários sonetos, contos e crônicas repassados de lirismo e cheios de beleza.
 
Colaboradora do jornal, O Domingo; surgido em Fortaleza em 1888, onde colaboraram figuras de projeção como Rodolfo Teófilo, Clóvis Beviláqua, Juvenal Galeno e outros.
 
Redigiu para A Evolução jornal científico e literário, fundado em 1888 dirigido por Duarte Bezerra e Fabrício de Barros. No artigo de apresentação do jornal supra citado, ela afirma: “A evolução é a palavra do século, deve, portanto, ser a bússola do jornalista criterioso”.
 
Colaborou também no Ceará Ilustrado, surgido a 20 de janeiro de 1894, aparecendo trabalhos seus em meio aos de Álvaro Martins, Sabino Batista, Viana de Carvalho, Juvino Guedes, Alves de Lima, Pedro Muriz, Rodrigues de Carvalho e outros.
 
Em O Lyrio, de Recife (1902-1904), de Amélia Beviláqua (esposa do jurista cearense Clóvis Beviláqua) com quem tinha laços de amizade; teve poesias e contos publicados.
 
Defendia idéias liberais democráticas, abolicionistas e republicanas. Tendo demonstrado em vários artigos, contos e poesias sensibilidade diante das diferenças e discriminações sociais, por isso recebeu críticas severas. 
 
Em 1889 publica obra didática Lições de Aritmética para a Escola Normal, ala feminina, com objetivos pedagógicos, contendo 102 páginas.
 
Em 1893, por perseguição política foi demitida da Escola Normal, e fundou em Fortaleza um educandário: Externato Santa Clotilde, que funcionou por três anos.
 
Em 1897 publica Coleção de Contos, com prefácio de Tibúrcio de Oliveira (autor de O Jangadeiro), pela Tipografia de Cunho Ferro & Cia. 
 
Finalzinho do século volta a morar em Baturité, fugindo de um surto de tuberculose e outras epidemias que pairava em Fortaleza.
 
Abriu em Baturité um Externato em que meninos e meninas, sem separação assistiam, ao mesmo tempo, a mesma aula e, ao recreio, convivendo na doce camaradagem da infância.
 
Em 1902, impassível às regras da sociedade publica A Divorciada, romance de 233 páginas. publicado na Tip. Moderna a vapor Ateliers Louis, Fortaleza, Rua Formosa (hoje Barão do rio Branco) n.º 71, obra que pelo título abala a sociedade conservadora da província gerando debates conflituosos entre a ala conservadora e a ala progressista.
 
A Cidade, jornal periódico de Sobral na edição de 7/06/1902, “louva o estilo da romancista que qualifica de “ligeiro, delicado, fácil, correto e atraente, inspirado em realismo puro”. 
 
Co-fundadora da primeira agremiação literária feminina, fundada em Fortaleza em 1904 A Liga Feminista Cearense, presidida por Alba Valdez, identificadas no meio literário como defensoras do direito da ascensão cultural, econômica e política para as mulheres. 
 
No dia 28 de outubro de 1906, ainda na cidade de Baturité juntamente com sua filha Antonieta Clotilde inicia a publicação da revista A Estrella, que teve duração ininterrupta até 1921.
 
Em fevereiro de 1908 ela deixou a cidade de Baturité, embarcando para a cidade de Aracati a convite de pessoas de destaque daquela sociedade. Em 09 de março do mesmo ano fundou o Externato Santa Clotilde, com participação ativa de duas filhas: Antonieta e Ângela Clotilde.
 
Colabora, tanto ela quanto a filha Antonieta Clotilde, no O Aracati – órgão de imprensa local – falando das atividades literárias, afirma que “a burguesia azinhavrada de interesses materiais não predomina entre nós”. Em resposta, citando os intelectuais da terra o jornal diz que: “merecem verdadeira apoteose de aplausos as primorosas quão modestas poetisas as Clotldes, mãe e filha” (edição de 25 de março de 1909).
 
Posteriormente ampliou o Externato com um curso masculino que deu bons resultados, continuando de então até 30 de novembro de 1935, aos 73 anos, passando, portanto, mais de 53 anos de profícuo e afanoso lutar em prol do desenvolvimento intelectual da mocidade cearense (Fortaleza, Baturité e Aracati), sendo a maior parte desse tempo, ou seja, mais de 27 anos, na cidade de Aracati. Na realidade se educou a elite da juventude da terra dos “bons ares”.
 
Ajudou na criação da Liga Feminina em apoio à candidatura oposicionista de Franco Rabelo a Accioli. Nesse tempo publicou uma série de artigos, posteriormente organizado em coletânea Pelo Ceará, editados na Folha do Comércio de Aracati – CE: Tip. Comercial, s. d. 70  p.
 
Além de professora, poetisa, colaboradora em revistas e jornais, contista, romancista, foi também dramaturga. Escreveu várias obras teatrais, monólogos, diálogos, comédias e dramas históricos.
 
Em 1924 a fúria do Jaguaribe, quase arrasa as cidades que banhava e de modo especial a cidade de Aracati, e, muito se perdeu da produção e história das Clotildes (Francisca, Antonieta e Angelita).
 
De formação religiosa, tendo grande devoção por Santa Tereza. 
 
Mercê de seu talento, teve o grito da mulher como expressão estética para sua obra. Francisca Clotilde foi mulher de vanguarda, uma mulher de denúncia; escreveu sobre questões sociais, colocando em debate o mundo das pessoas, dos homens e das mulheres. Atravessou os anos e confirma, centenária, a vocação de ser imorredoura. 
 
Faleceu em Aracati - CE, em 8 de dezembro de 1935.
 
Suas obras hoje constituem raridades bibliográficas. Podem ser encontradas na Biblioteca Nacional e na Biblioteca Pública Menezes Pimentel de Fortaleza – CE, no Setor de Obras Raras. 
 
É Patrona na Ala Feminina na Casa de Juvenal Galeno. É nome de rua em Fortaleza-CE, no bairro Rodolfo Teófilo, CEP: 60431-070. É nome do Grupo Teatral da cidade de Aracati CE. É Patrona da cadeira número 11 na Academia Tauaense de Letras, ocupada por Anamélia Custódio Mota, que desenvolve uma acirrada pesquisa sobre essa Tauaense Ilustre.
 
               Tauá- Ce, 19 de outubro de 2005 – (Divulgado nas três emissoras de rádio)
 
HOMENAGEM À FRANCISCA CLOTILDE



terça-feira, 9 de outubro de 2012

TELECURSO 2000 - TAUÁ - CEARÁ

..
TELECURSO 2000 (Turma 2000-2001)
ESCOLA DE ENSINO MÉDIO LICEU DE TAUÁ

 TELECURSO 2000 (Turma 2000-2001)
ESCOLA DE ENSINO MÉDIO LICEU DE TAUÁ - LILI FEITOSA

TELECURSO 2000 (Turma 2002-2003)
ESCOLA DE ENSINO MÉDIO MONSENHOR ODORICO DE ANDRADE

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

FAMILIARES DA ESCRITORA FRANCISCA CLOTILDE

 Centenário da Revista A Estrella - Aracati CE, 28 de outubro de 2006
Bisneta de Francisca Clotilde: Aldeíze Ponciano,
seu esposo José Milton e Anamélia Mota.

Rose (bisneta), Ana Maria (fotógrafa) Rosângela Ponciano (bisneta)
Anamélia (biógrafa) e Ângela Ponciano (bisneta)
Tauá - CE, 08 de dezembro de 2007

terça-feira, 25 de setembro de 2012

TAUÁ SERTÃO DOS INHAMUNS SECA DE 2012

Uma pequena amostra da Seca de 2012 no Município de Tauá - Estado do Ceará - Brasil
 




 
Fotos de Ana Maria Custódio Mota - por ocasião do Retiro Espiritual realizado na Barra do Vento - Serra de São Domingos - Tauá - aos 12 de agosto de 2012. - em Celebração da História e Memória de Padre Alfredinho (Fredy Kunz).


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

CONCURSO DE SONETOS FRANCISCA CLOTILDE



Academia Tauaense de Letras
Reconhecida de Utilidade Pública Lei Municipal  Nº 1.320 de 23 de maio de 2005
Av. Odilon Aguiar, 02 – 63660-000 - Centro - Tauá – CE – atl20112013@hotmail.com

A Academia Tauaense de Letras torna público que estão abertas as inscrições para o CONCURSO DE SONETOS FRANCISCA CLOTILDE, em homenagem ao Sesquicentenário de Nascimento da escritora/poeta tauaense Francisca Clotilde (1862-2012), exímia sonetista e patrona desta Instituição.

REGULAMENTO
 

1) Inscrições gratuitas, abertas até 15 de outubro de 2012;

2) O TEMA do concurso é livre;   
 
3) O Soneto, inédito, deverá obedecer a métrica e rima;

4) Serão aceitas inscrições apenas via internet, exclusivamente pelo e-mail:
                      

5) Nos trabalhos deverá constar apenas o pseudônimo do autor;

6) Em anexo deve ser enviado documento constando, para fins de contato: Nome do autor, endereço, telefone convencional, telefone celular e e-mail;

7) Cada autor poderá concorrer com até dois trabalhos no concurso;

8) Os trabalhos serão julgados por comissão especializada, indicada pela instituição promotora do concurso, sendo soberana em suas decisões;

9) PREMIAÇÃO: Os trabalhos classificados em 1º, 2º e 3º lugares receberão Troféu e Medalha. Os trabalhos selecionados em 4º e 5º lugar receberão medalha;
 

10) Os resultados serão proclamados e os prêmios conferidos em solenidade especial, em Tauá, dia 08 de dezembro de 2012.

Tauá – CE, 01 de setembro de 2012
 
Anamélia Custódio Mota
 - Presidenta da ATL -

FRANCISCA CLOTILDE
SESQUICENTENÁRIO DE NASCIMENTO